sábado, 8 de setembro de 2012

Sensibilidade e Bom Senso - Jane Austen

"Minha querida Elinor. Não deixes que a tua bondade defenda o que a tua razão deve censurar."
'Sensibilidade e Bom Senso', Jane Austen

'Sensibilidade e Bom Senso' é a história de duas irmãs com caracteres diferentes, mas mais parecidas do que parecem e se consideram. No seu primeiro romance, Jane Austen abre as portas ao seu mundo, à sociedade do seu tempo, e sobretudo à sua capacidade de contar histórias. Com muito bom senso, mas sobretudo com muita paixão e sensibilidade.

Elinor e Marianne são duas das filhas de Mrs. Dashwood, jovens com pouca riqueza mas muita personalidade. A primeira, mais velha, mais sensata, é a voz da razão tanto da irmã mais nova, sempre instintiva e emocional, como da mãe, de quem Marianne herdou este carácter. Apesar de naturalmente mais alegre e expressiva, é vulnerável no que toca às questões do coração. Mas Elinor, apesar da sua sensatez, da sua ponderação, também não escapa aos amores e desamores que Jane Austen retrata no livro. Por Edward e Willoughby, apesar de todas as aparentes certezas que lhes são dadas, as duas raparigas acabam por sofrer por amor.

É pouco mais do que uma história banal, esta sua procura de um casamento por amor, apesar de todas as condicionantes económicas e sociais. Mas é esta sociedade em que esta situação tão específica se encontra envolta que nos leva a querer saber mais sobre estas personagens e o seu desfecho - porque nos parece insólito, muitas vezes, que um homem abdique do amor em nome da riqueza, por exemplo, ou porque acreditamos que as nossas personagens vão conseguir ultrapassar todos os obstáculos e viver a vida que pretendem. Pelo menos assim queremos acreditar.