sábado, 5 de maio de 2012

Coração, Cabeça e Estômago – Camilo

Um livro de 1907 é o que tenho nas mãos. Valeu os cinco euros que dei por ele na Feira da Ladra. 'Coração, Cabeça e Estômago' é a história de um homem, Silvestre da Silva, contada em três partes, de acordo com o órgão que a regeu. Camilo Castelo Branco escreve como se um amigo de Silvestre, recolhendo os seus manuscritos, os publicasse postumamente, na que se torna uma bonita mixórdia de crítica social, memória de um homem e poesia.

Silvestre não quer que o romanceiem nem dramatizem. Conta as coisas em escrito como mas disse a mim conversando, e eu agora as dou em estampa ao universo”. E é tal e qual.

O período sentimental é retratado na primeira parte, inicialmente em sete mulheres que fizeram parte da vida de Silvestre, mas nenhuma delas tão marcante como a Marcolina que conhecemos no final deste “coração”, o período mais dramático da sua vida. A cabeça corresponde à fase intelectual de Silvestre, mais racional, como se deixasse de ter, inclusive, coração:

Consultei a minha cabeça, e a cabeça me disse que requestasse a viúva. Senti que o coração punha embargos; mas a veleidade foi de momentos. Caiu-lhe em cima a cabeça com todo o peso da razão; e o pobrezinho, que já me não servia para mais que centro das funções sanguíneas, gemeu, contorceu-se e amuou”.